2014 Relatório
de atividades

Meio, Mensagem, Diálogo

É premissa da sustentabilidade o entendimento integrado de diferentes aspectos da sociedade, da economia e do meio ambiente. Estabelecer as conexões entre elementos que nem sempre se mostram diretamente relacionados é o que evidencia externalidades a serem consideradas nas decisões de negócios, na formulação de políticas públicas e na compreensão de como os cidadãos e a natureza são afetados. A informação é certamente um ingrediente fundamental dessa rede e o diálogo, um caminho fundamental para a troca de informação, a sensibilização de atores e a formação dos diferentes atores.

Na era da conectividade, isso significa explorar os meios digitais, costurar redes que ampliem o alcance da comunicação, apoiar o contato entre atores que pouco se falam e fazer provocações inspiradoras, quando necessário. Além, é claro, de trazer um enfoque diferenciado para canais de comunicação mais conhecidos, como a imprensa. Essa abordagem faz com que a comunicação seja encarada como parte indissociável das iniciativas do GVces em seu ofício pelo desenvolvimento sustentável.

BODES NA SALA
Quando um problema é incômodo mas ninguém se dispõe a falar a respeito ou resolvê-lo, é comum dizer que há um bode na sala. Se a pauta é a mudança nos rumos da economia e da política, para viabilizar um desenvolvimento durável que atenda a necessidades da sociedade e os limites do planeta, pode ter certeza que os bodes se multiplicam.

Desde 2005, o GVces anfitria um projeto de jornalismo independente, para trazer ao público questionamentos relevantes sobre os rumos da sociedade no século XXI no horizonte da sustentabilidade – a Revista Página22, uma referência nacional importante para o debate sobre as questões da sustentabilidade atualmente. No ano passado, as edições da Página22 abordaram, de forma criativa e inovadora, temas como periferia, crise hídrica, ética e bem estar animal, educação política, infraestrutura e desenvolvimento local, mudanças climáticas, externalidades e química verde.

“A crise socioambiental que vivemos nos últimos tempos não é somente aquela motivada pela falta de recursos financeiros, mas principalmente aquela que provém de uma escassez crescente de informação de qualidade que seja acessível a todos. Página22 é, certamente, uma das poucas publicações que, de maneira corajosa, vem provendo informações que colocam seus leitores a par do futuro que teremos que escolher como cidadãos".

Paulo Moutinho,
diretor executivo do Ipam

Os questionamentos da Página22 ganharam um novo espaço em 2014. Um plano antigo da revista e do GVces saiu do papel para promover um diálogo ao vivo, com a presença de especialistas e do público. O nome não poderia ser outro: Bode na Sala. A ideia era participar da Virada Sustentável e dar início a uma série de eventos, com edições semestrais, para promover conversas quentes sobre sustentabilidade.

O primeiro Bode na Sala trouxe o tema do Consumo. Ao melhor estilo Página22, o enfoque foi bastante diversificado, trazendo bons provocadores para falar de questões como o consumismo moderno, a inclusão social via consumo, a escassez de recursos naturais, a economia colaborativa e o compartilhamento de produtos. O debate também aconteceu num formato inovador e diferenciado, a partir da dinâmica do aquário, tipo de conversa em que cadeiras vazias são ocupadas alternadamente pelo público, que traz seu ponto de vista e seus questionamentos para o centro do debate. E ainda um jeito diferente de olhar para a perspectiva da rede no consumo: por meio do corpo! Assista ao vídeo

O Bode na Sala também ofereceu oportunidade para a Página22 tornar realidade outro projeto, o canal de podcasts da revista. Neste novo canal, a revista disponibiliza entrevistas com pesquisadores do GVces, além de listas de músicas com base em temas da sustentabilidade, como mudanças climáticas e água.

“Página22 é uma referência incontornável para compreender o mundo contemporâneo. Ela não é uma revista estritamente ambiental. Não sendo "acadêmica" aborda com consistência e referências de boa qualidade os problemas mais importantes da atualidade com notas, entrevistas, reportagens e artigos. As pautas são elaboradas de forma cuidadosa e criteriosa e frequentemente os articulistas opinam a seu respeito. Meus artigos são bem editados e com boa repercussão não só pelo prestígio da revista, mas também pelo trabalho feito pelas mídias sociais. O desenvolvimento sustentável precisa de uma revista assim.”

Ricardo Abramovay,
professor da FEA-USP e colunista da Página22

"Página22 é, com certeza, a melhor revista brasileira sobre sustentabilidade."

José Eli da Veiga,
professor do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEA-USP), colunista e conselheiro editorial da Página22

Links relacionados

INTERFACES
Para além da abordagem jornalística da Página22, o GVces trouxe contribuições importantes para a comunicação para a sustentabilidade. O fio condutor, tornar o trabalho do GVces mais acessível ao público, com formato palatável.

Em conexão com as redes sociais, o GVces conseguiu ampliar o alcance ao conteúdo produzidos e suas publicações online no site, gratuitas para baixar, chegando à média de 50 mil acessos únicos em seu portal no último trimestre. Também avançou sua produção de vídeos, criando uma identidade para seus produtos e coberturas especiais para eventos como o Fórum Anual das Iniciativas Empresariais.

Outra frente de atuação da comunicação do GVces foi avançar em parcerias com outras organizações. O Observatório ABC e o Observatório do Clima foram iniciativas que tiveram apoio da Linha de Comunicação e Mobilização do GVces para avançar em suas ações e estratégias de comunicação. Um exemplo desse esforço foi a publicação da versão 2014 do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases do Efeito Estufa (SEEG), do Observatório do Clima, no qual a equipe de comunicação do GVces apoiou no desenvolvimento do banco de dados online e na facilitação do evento de lançamento.

Mais uma vez, o GVces teve papel importante em trazer informações exclusivas da Conferência do Clima da ONU. Em 2014, a COP 20, realizada em Lima, foi novamente uma oportunidade de articulação em torno das Iniciativas Empresariais em Clima – uma parceria entre a Plataforma Empresas pelo Clima (EPC) e a Câmara Temática de Energia e Mudança do Clima do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), a Rede Clima da CNI (Confederação Nacional da Indústria), e o Fórum Clima do Instituto Ethos. O GVces levou fluxo para o blog Empresas na COP, com posts destacando aspectos das negociações e, principalmente, assuntos estratégicos para as empresas brasileiras atentas à construção da economia de baixo carbono no mundo.

A perspectiva de relacionamento e mobilização com organizações do movimento da sustentabilidade também foi destaque em parcerias não-programáticas. Além da Virada Sustentável, a Linha de Comunicação e Mobilização do GVces também deu aportes a eventos como a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, o III Fórum Mobilize, além do Prêmio Empreendedor Social da Folha de São Paulo.

Sem falar, é claro, nos eventos promovidos do GVces – uma marca do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP, que reúne representantes de empreses, governos, ONGs e da academia em diferentes encontros, tanto em encontros dirigidos aos membros de projeto, como em eventos abertos, voltados a difusão de conhecimento e ao diálogo. Em 2014, foram mais de 100 eventos, entre encontros técnicos, oficinas, grupos de trabalhos e eventos abertos ao público em geral.

Merece destaque ainda as iniciativas de comunicação para dar transparência e promover o diálogo em torno do projeto Indicadores de Belo Monte, por meio de boletins periódicos sobre o trabalho desenvolvimento pelo GVces, além de artigos e impressões dos nossos pesquisadores direto de Altamira, no Pará.

O GVces participou ativamente da Conferência do Clima de Lima, a COP 20. Além da atuação no âmbito das Iniciativas Empresariais em Clima, com o blog “Empresas na COP”, a comunicação do GVces também facilitou atividades do Observatório do Clima durante o encontro no Peru.
Links relacionados

O QUE APRENDEMOS E O QUE O FUTURO NOS RESERVA

Um dos focos da comunicação para o GVces é avançar na construção de uma linguagem cada vez mais acessível, apostando no uso mais ousado das tecnologias de comunicação em rede em prol de diálogos relevantes e inovadores com o público em geral sobre os temas da sustentabilidade. Nesse esforço, o objetivo da comunicação do GVces é ampliar nossa interlocução com a sociedade brasileira, trazendo informações relevantes sobre os desafios da sustentabilidade e provocando um debate construtivo sobre eles com todos os atores interessados.

Em 2014, com a realização do Bode na Sala, o GVces inovou no formato de eventos, com o objetivo de aproximar o público em geral do debate realizado pelos especialistas. No âmbito dos nossos projetos, o GVces também buscou novas formas de registrar discussões e reflexões, incorporando instrumentos mais lúdicos, como a colheita gráfica. E no uso das novas tecnologias, o GVces trouxe o canal de podcasts da Página22 como um novo meio para disseminar informações e reflexões sobre sustentabilidade para o grande público.

Nessa mesma linha, no final de 2014, empreendemos uma mudança profunda no desenho dos nossos sites. Além de modernizá-los enquanto plataformas sobre nosso trabalho, a proposta do GVces também foi inovar na forma de relatar essas atividades ao público. O formato digital do próprio relatório 2013 do GVces é um exemplo desse esforço. Para 2015, nossa ideia é avançar em novos formatos para registro e relato de nossas atividades, aproveitando ferramentas como infográficos e textos temáticos mais sintéticos.

Por fim, o GVces continuará engajado com outros atores relevantes da sustentabilidade no Brasil, apoiando a realização de eventos e premiações sobre o tema, de forma a fortalecer nossa articulação com essas instituições e catalisar o engajamento da sociedade em geral com as questões da sustentabilidade.

Galeria de fotos